Quando estivermos prontos para o avivamento, Deus derramará seu espírito sobre nós.
Quando o vento soprar, como o Senhor deverá nos encontrar?
A Bíblia diz que nos últimos dias muitos iriam abandonar a fé, mas precisamos nos conservar em amor por Jesus.
Deus, em outras ocasiões, visitou a terra com seu espírito, mas quando analisamos a história, vemos que os avivamentos não duraram muito.
Mas o derramar do Espírito Santo dos últimos dias não tem endereço, não tem rosto e nome. Esse mover passará pela cura da alma e da transformação das pessoas, não será confundido com agitamento superficial, mas será arrancada a capa da religiosidade.
O último avivamento, segundo alguns teólogos, será o vinho novo, o “avivamento da cruz”.
Precisamos ser renovados para nos conservarmos na presença de Deus e recebermos o vinho novo. Deus não coloca vinho novo em odre velho.
O odre velho também recebe vinho novo, mas ele estoura, porque não suporta a pressão.
Deus está abrindo os olhos de Sua Igreja, para nos preocuparmos com a qualidade do odre. Um avivamento com muita unção, mas com pouco caráter só dura três anos, segundo a história.
O odre novo é a pessoa curada, disponível para a transformação: consciência pura, passado resolvido e futuro promissor.
Quando o vinho novo, que é o avivamento, é colocado em odre velho, não há transformação e o vinho não é retido.
O avivamento é um estilo de vida!
Estamos vivendo o crescimento do número de evangélicos, mas estas pessoas precisam de uma UTI da alma, para serem curadas. Pessoas doentes, geram pessoas doentes.
Os templos estão cheios, com preletores motivacionais, mas as pessoas não estão se tornando odres novos.
Não se impressione com o místico espiritual, mas com a transformação de caráter. Isso é avivamento de verdade! O resto é cristianismo sem cruz.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta