Nesse período de pandemia, nossa vida se resumiu a apenas algumas funções, lugares e horários específicos.

A dura realidade é que parece que tudo está previamente calculado. Estamos dentro de uma caixinha e não conseguimos pensar fora dela. É impossível viver algo novo de Deus no futuro se não produzirmos algo novo no presente.

João Batista no final de sua vida manda seus discípulos perguntarem para Jesus quem Ele realmente era. João batizou Jesus, ele viu com seus próprios olhos e ouviu a voz que veio dos céus dizendo que Jesus era o filho de Deus. Se ele que teve experiências tão marcantes com Deus e Jesus, como ele chegou a esse ponto de questionar?

Quando estamos na hora errada e no lugar errado nós começamos a duvidar.

O trabalho de João era ser o precursor de Jesus. Sua maior certeza era o que ele viu e ouviu. Ele tinha plena convicção em seu coração que Jesus era o filho de Deus.

Como ele se perdeu no horário e no lugar que deveria estar?

Em algum momento em sua história ele fez o que não foi chamado pra fazer. O chamado dele era preparar o caminho pra Jesus.

João não tinha mais visão. Enquanto Jesus batizava de um lado do rio, João batizava do outro. Por que manter o rito?

João estava fazendo o que não foi chamado.
Não é porque é certo, que Deus nos chamou. Temos que fazer o que Deus nos chamou pra fazer.

Você tem um chamado. Nesse lugar só você pode fazer com excelência o que Jesus te chamou pra fazer!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta